Bye, Bye Brasil. O bom futebol venceu de novo

Brasil erra muito e perde para Holanda

A Era Dunga II acabou como se esperava e estava previsto pelos mais atentos e argutos, pelos que não precisam fazer média e nem vender refrigerantes a drogas e ilusões pela TV, Internet e todas as velhas e novas mídias. Ainda bem que o bom futebol venceu e o futebol chamado de resultados, dos volantes e das defesas bem plantadas vão voltar para casa e tudo vai ter de recomeçar. A nova Era Dunga com seus anõezinhos acabou tarde. Tarde demais até para se esquecer. E vai ser triste, duro e penoso tentar refazer o conceito e o respeito pelo verdadeiro futebol brasileiro. De arte, de talento e de craques não de tigres de papel.

Graças ao bom futebol da Holanda,  bye, bye Brasil  e só resta admitir que o bom futebol venceu. Acabou a festa dos medianos, dos que fecham treinos, dos que desrespeitam a torcida e os profissionais que foram trabalhar na África do Sul e foram tolhidos, reprimidos e ficaram cobrindo saídas de ônibus, aquecimentos  nos estádios e outras baboseiras.Tudo sem contestações, sem explicações. Agora é o amargo regresso  da Seleção Brasileira de 2010. Ainda bem que a Holanda venceu de 2 a 1 e tudo acabou. O pior seria o Brasil ter passado e chegar até as finais, mais ainda, ser hexacampeão.

Agora, temos quatro anos para, na copa de 2014, em 12 sedes brasileiras, mostrar mais futebol, mais qualidade, mais talento e um time menos trancado, como bem disse Maicon reclamando do sistema de isolamento e de cárcere privado de Dunga e sua turma. O futebol brasileiro agradece os holandeses por vencerem e terem  provado que ainda existem craques e bons times e seleções. Nada de excepcional. Mas venceu o melhor. A Holanda que vai para as semifinais com méritos e podendo até, se Alemanha e Argentina, além dos outros com possibilidades deixarem. Viva o futebol e abaixo mais uma vez, a Era Dunga e seus defensores. Cruzes…

A Holanda levou um gol, soube reagir e virar de 2 a 1. Conseguiu com um gol fortuito que destramelou toda a estrutura, que se revelou falsa e falha, do sistema defensivo brasileiro. O time todo se perdeu física e psicologicamente. E era 1 a 1 só. Até que veio o lance de gol-a-gol da vitória da Holanda. Foi o desastre total e  a Seleção Brasileira mostrou sua verdadeira cara. A cara de Dunga e de seus criadores. Que vão ter quatro anos para se explicarem e pedir perdão à brava e sempre presente torcida brasileira. O Brasil não teve controle, não teve garra e perdeu para um adversário melhor, mais talentoso e mais completo. Ganhou, vale sempre repetir, o melhor do futebol. Sem dó e nem piedade.  Depois da França, Inglaterra e Itália, mais um arremedo de campeão foi eliminado. Estão sobrando os melhores de verdade. Viva a Copa da África de 2010…

Agora é história da Copa de 2010 e vale sempre registrar que Dunga e seu escudeiro Jorginho  foram criados pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e dos demais responsáveis pelo desastre brasileiro em mais um mundial, justamente para se sepultar e acabar com os desmandos de 2006, a Copa da Alemanha.  E agora, o  Brasil perde feio da Holanda e está eliminado de novo nas quartas de final, tudo igual há quatro anos atrás.

Na Alemanha, a culpa foi de Roberto Carlos no gol da França, por estar ajeitando a meia na hora do gol da eliminação, agora se quer transformar  Felipe Melo no bode expiatório e no cão-chupando-manga mas quem perdeu foi toda a estrutura e todo esquema montado com o rótulo e a marca de Dunga. Uma nova Era dunga derrotada.

Assim que acabou França 1, Brasil 0, na Alemanha’2006,  diziam que na África seria diferente. Ou seja, queriam acabar com o Brasil de 2006 e fazer tudo diferente em 2010. Mas o script foi diferente, mas o resultado igual. O Brasil levou dois gols incríveis e não tem defesa, nem meio campo e nem ataque. Todos perderam, principalmente a torcida, que levada pela maioria da mídia, acreditou de mais em um time fraco e sem craques.

Em toda a preparação e durante as eliminatórias e a Copa do Mundo na África, a Seleção Brasileira  tentou  ser totalmente  diferente do sistema de 2006. Acabou tudo igual, embora por formulas e esquemas diferentes. Afinal, aconteceu uma derrota para uma seleção da Europa e eliminação nas quartas de final. Mudou só o adversário, antes foi a  França, agora a Holanda.  Mais foi o holandês  Sneijder que fez o gol, como  Henry  para a França, e marcou o segundo na vitória por 2 a 1, de virada, nesta sexta-feira, em  Porto Elizabeth. E ele foi eleito o melhor em campo no Estádio Nelson Mandela Bay, em votação  da Fifa. Foi uma decisão e votação acertada: Sneijder foi mesmo o melhor e o segundo gol foi também de linha de passes, como se aprende nas ruas do Brasil e do mundo. Bola centrada, desvio de cabeça no primeiro pau e cabeçada fatal para vencer Julio Cesar e toda arrogância da defesa brasileira que se julgava a melhor do mundo. Inacreditável…

O time brasileiro iludiu comentaristas, torcida e até os adversários no primeiro tempo. Jogou com qualidade e fez o gol na hora certa. Depois perdeu boas chances e deixou a Holanda se recuperar e reagir. Quando Dunga e seu time assustaram, no segundo tempo, os holandeses mandavam em campoe  a vitória foi questão de tempo. Se no primeiro tempo o gol de Robinho  mostrou o Brasil melhor, no final os gols de  fáceis e bem preparados premiaram o melhor futebol em campo e também na Copa do Mundo de 2010. Agora, a Holanda vai para as semifinais e está com 24 partidas de invencibilidade, enfrentará Gana ou Uruguai na semifinal, em partida na terça-feira, às 15h30m (de Brasília).

Ficha técnica de Holanda 2×1 Brasil:

Estádio: Nelson Mandela Bay (em Porto Elizabeth).

Holanda: Stekelenburg, Van der Wiel, Heitinga, Ooijer e Van Bronckhorst; Van Bommel, De Jong, Sneijder e Kuyt; Van Persie e Robben. Técnico: Bert van Marwijk.

Brasil: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos (Gilberto); Gilberto SIlva, Felipe Melo, Daniel Alves e Kaká; Robinho e Luis Fabiano (Nilmar).Técnico: Dunga

Gols: Robinho, aos dez minutos do primeiro tempo; Felipe Melo (contra), aos oito, e Sneijder, aos 22 minutos do segundo tempo.

Cartão amarelo: Heitinga, Van der Wiel, De Jong, Ooijer (Holanda); Michel Bastos (Brasil). Cartão vermelho: Felipe Melo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s