Atlético faz “jogo da vida” em Ipatinga

Lima é a novidade contra Grêmio Prudente

Atlético x Grêmio Prudente nesta quarta-feira, dia 11 de agosto de 2010,  seria mais um jogo pela Copa Sul-Americana, mas pelas dificuldades e situação desesperadora do alvinegro da Colina de Lourdes acaba sendo daqueles que os torcedores e demais interessados chama, com muita propriedade, de o mais importante e até da vida do Clube Atlético Mineiro nesta temporada.

Não é exagero, o Atlético está em 19° lugar no Campeonato Brasileiro de 2010, na penúltima colocação com apenas 10 pontos ganhos em 13 jogos e se não vencer  no tempo normal ou na decisão (provável) nos pênaltis fica fora da possibilidade de conseguir vaga na Libertadores da América de 2011. É tudo ou nada, com o Galo melhorando sua situação de passar para  a nova fase da Copa Sul-Americana que, de repete, se tornou de grande importância estadual e nacional, além de internacional.

Para tentar vencer e ganhar novamente o respeito da torcida alvinegra da Colina de Lourdes, o Atlético vai retomar o esquema de três zagueiros por decisão do técnico Vanderlei Luxemburgo contra os paulista, que empataram no primeiro jogo, na semana passa, em Presidente Prudente, por 0 a 0.  Com Fábio Costa no Gol, ele escala Lima, Werley e Jairo Campos, um meio-campo compacto e fortalecido, e no ataque na ausência de Obina e também de Diego Tardelli, na Seleção Brasileira de Mano Menezes, os titulares serão Diego Souza, o número 1, e Ricardo Bueno.

Mineiros e paulistas jogam a partir das 21h50, no Ipatingão, e a disputa será marcada pelas exigências cada dia mais complicadas das autoridades e que só servem para afastar, cada vez mais, os torcedores dos estádios. Alegando que o que manda a reforma no Estatuto do Torcedor, a turma do doutor-não-gosta-o-doutor-não-quer soltou notas para informar que  a capacidade do Estádio do Ipatinga só comporta 11.120 pagantes e só terão acesso ao estádio aqueles que tiverem ingressos, valendo também para os convidados, quem for trabalhar e as mídias que terão de estar devidamente credenciados.

Torcedor atleticano reclama

Em 28 de abril, o Atlético jogou no Ipatingão, no Vale do Aço, e um torcedor mandou uma mensagem contando os problemas enfrentados que demonstram como os dirigentes e autoridades de Minas precisam dar um tratamento mais respeitoso e digno para todas torcidas.

Vejam a narrativa do atleticano e sua família: “Dia 25 de abril de 2010- Gostaria de enviar um comentário ao colunista Rogério Perez sobre o jogo de domingo: Estive no Ipatingão e não pude deixar de me lembrar de seus comentários sobre nossas autoridades, principalmente da fantástica frase “Doutor não gosta, doutor não quer”. Levei meu pai, de 75 anos, que, pela primeira vez, ia a um jogo do Galo ao vivo; uma irmã e dois sobrinhos, de 14 e 12 anos. Saímos de nossa Conselheiro Pena às 11 horas, visando uma viagem tranquila, almoçar e depois ir ao estádio, o que conseguimos fazer. Em Ipatinga, chegamos às 15 horas ao estádio, com o intuito de conseguirmos um bom lugar, além de evitar aglomerações, e outras situações difíceis para meu pai e sobrinhos. Até aí, tudo bem. Entretanto, quando da ação das “autoridades”, mais uma amostra do quanto elas parecem não se preparar para o que vão fazer. Toda a imprensa havia anunciado a venda antecipada dos ingressos. Portanto, as ditas autoridades já sabiam quantas pessoas estariam lá, e poderiam ter decidido quais espaços do estádio ocupariam, certo? Nada disso. Cercaram com cordas um espaço muito menor que o necessário, e nossa intenção de chegarmos uma hora antes do início do jogo foi totalmente inútil. O povo foi chegando e ocupando o espaço, e de nada adiantaram os gritos e sinais enviados a dois policiais plantados no gramado e olhando para a torcida. Somente depois de 20 minutos de jogo ampliaram o espaço, abrindo o acesso aos assentos atrás do gol defendido pelo Ipatinga no primeiro tempo. Claro que, com metade do jogo em andamento, e um bom jogo, é preciso dizer, ninguém arredou pé do lugar. Como resultado, fomos obrigados a ver todo o primeiro tempo em pé, pois, somente no intervalo, parte da torcida se dirigiu ao espaço. E é preciso dizer ainda que atrás do outro gol havia mais um latifúndio de cadeiras reservadas ao sol. Carlos Magno Lima Teixeira, Gerente Regional – Canais CAIXA – Superintendência Regional Leste de Minas”.

Vejam a ficha do jogo citado pelo torcedor que abriu as finais do Campeonato Mineiro de 2010, no domingo, 15 de abril:

Ipatinga 2 x 3 Atlético

Ipatinga: Douglas; Max, Éber e Sílvio; Luizinho, Leanderson, Mateus (Afonso), Francismar (Reina) e Marinho Donizete; Danilo Dias e Joabe (Muller). Téc.: Gilson Kleina

Atlético: Aranha; Carlos Alberto, Jairo Campos, Werley e Leandro (Junior); Zé Luís, Correa (Benítez), Ricardinho e Fabiano (Jonilson); Muriqui e Diego Tardelli. Téc.: Vanderlei Luxemburgo

Gols: Fabiano (contra) 11, Diego Tardelli 29 do primeiro tempo. Muriqui 11, Luizinho 30, Muriqui 39 do segundo tempo.

Cartões amarelos: Jonilson (ATL)

Árbitro: Sálvio Spínola (FIFA/SP) – Auxiliares: Emerson Carvalho (FIFA/SP) e Vicente Romano (CBF/SP)

Local: Ipatingão, Ipatinga

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Atlético faz “jogo da vida” em Ipatinga

  1. Alex Dias disse:

    Vai ser um jogado chato e enjoado.
    Mas acredito que o galo irá passar, mas no sufoco.
    A notícia boa para os atleticanos é que estão rebaixando o gramado do mineirão
    e se tivermos sorte encontraremos (se não estiver a mais de 3,5 metros de profundidade) a famosa cabeça de bode (ou de burro) enterrada lá desde 71.

  2. Rogerio Perez disse:

    A tal caveira-de-burro que seria o azar do Atlético tem várias localizações em Belo Horizonte. Seria no velho Estádio antônio Carlos, na Coliuna de Lourdes, onde existia o fantástico Estadinho de grandes vitórias, títulos e glórias, mas acabou sendo vendido e trocado por um shopping que só dá lucro para quem explora o Galo Carijó, no caso os donos do empreendimento, que fez o clube ir para Vespasiano. Caveira no Mineirão pode ser e terá de aparecer com as escavações, derrubada geral de um estádio que se não era perfeito dava para o gasto e custoou o dinheiro suado dos cidadãos mineiros. Cruzes, Rogério Perez

  3. Márcio Luiz disse:

    Olá, Rogério!
    Você saberia me informar se o jogo do Galo será transmitido por algum canal dos quais vc chama com razão de “Paga-e-não-bufa-pra-ver”?
    No aguardo.
    Grato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s