Reconhecimento de Pelé, Tostão e outros campeões

 

6 vezes Pelé

A decisão da CBF de confirmar e unificar os títulos dos clubes brasileiros ao longo da história, reconhecendo o pentacampeonato do Santos na Taça Brasil nos anos 60, do Cruzeiro em 1966 quando acabou com a hegemonia do time de Pelé e companhia com o timaço de Tostão, Dirceu Lopes e todos campeões brasileiros com goleada de 6 a 2 no Mineirão e vitória de 3 a 2 no Pacaembu, entre outras correções históricas, foi o sensacional, embora venha causando polêmicas e muita chiadeira de quem ficou de fora.

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, anunciou oficialmente nesta quarta-feira a unificação dos títulos brasileiros.  Foi numa concorrida cerimônia no Itanhangá Golfe Clube,  no Rio, quando foram proclamados como campeões brasileiros os  vencedores da Taça Brasil, disputada entre 1959 e 1968, e dos Torneios Roberto Gomes Pedrosa e Taça de Prata, disputados entre 1967 e 1970.

Todos os clubes reconhecidos campeões brasileiros receberam medalhas, faixas e miniaturas da atual taça de campeão brasileiro. Agora o maior campeão com seis conquistas junto com Lima e Mengálvio, Pelé recebeu medalhas representando todos os jogadores campeões naquele período espetacular do Santos. Pelé disse que a unificação foi merecida pelos clubes e jogadores, pelo reconhecimento ao time campeão cinco vezes da Taça Brasil. “A CBF está tomando uma decisão histórica na medida em que está reconhecendo o passado glorioso do futebol brasileiro. E não faz nenhum tipo de favor aqueles clubes que pleiteiam o reconhecimento da conquista desse período de ouro de 1959 a 1970”, afirmou Teixeira muito criticado em setores da mídia e de clubes que perderam posições importantes.

“A CBF está passando a limpo um passado glorioso do futebol, dos clubes, da CBD (como a CBF era chamada antes), com jogadores como Pelé, Tostão, Carlos Alberto, Djalma Santos, Jairzinho, Dirceu Lopes, Ademir da Guia, um número enorme de jogadores que brilharam”, justificou Ricardo Teixeira. Ele ressaltou que nenhum jogador campeão naquela época exigiu o reconhecimento, mas que todos os títulos foram conquistados dentro de campo.

Todas essas glórias foram conquistadas dentro do campo, nas quatro linhas, com gols, jogadas maravilhosas e muito talento. O reconhecimento teria que vir da nossa parte e acreditamos que a hora chegou. “Por isso, como presidente, tenho orgulho de parabenizar os jogadores, demais profissionais, treinadores e os presidentes de Botafogo, Cruzeiro, Santos, Palmeiras e Fluminense como legítimos campeões brasileiros” disse o presidente da CBF.

Com a unificação dos títulos, o Fluminense  é considerado tricampeão e o Botafogo bicampeão. O Flu conquistou a Taça de Prata de 70 enquanto o Botafogo foi campeão da Taça Brasil de 1968.  Já Cruzeiro, Flamengo e Internacional, deixam de ser os únicos clubes que atuaram em todas as edições do Brasileiro. Agora não existe mais nenhum clube que tenha jogado em todas as competições.

O Internacional também deixa de ser o único campeão brasileiro invicto como aconteceu em 1979. Palmeiras (1960), Santos (1963, 1964 e 1965) e Cruzeiro (1966) também foram campeões sem perder.  Com a unificação dos títulos, Santos e Palmeiras passam a ser os maiores campeões do Brasil com oito títulos. São Paulo e Flamengo têm seis conquistas ( o rubro-negro  carioca é só penta). Vencedor em 1959, o Bahia passa a ser o primeiro campeão brasileiro, tirando histórica conquista do Atlético-MG, campeão em 1971. Além de Fluminense, Botafogo e Bahia, o Cruzeiro, campeão da Taça Brasil em 1966, também foi beneficiado pela decisão e passa a ser considerado bicampeão nacional.

Eis todos os campeões agora reconhecidos pela CBF oficialmente desde o final dos anos 50:

1959 – Bahia

1960 – Palmeiras

1961 – 1962 – 1963 – 1964 – 1965 – Santos

1966 – Cruzeiro

1967 – Palmeiras e Palmeiras (campeão da Taça Brasil e do Robertão)

1968 – Botafogo e Santos

1969 – Palmeiras

1970 – Fluminense

1971 – Atlético-MG

1972 – 1973 – Palmeiras

1974 – Vasco

1975 – 1976 – Internacional

1977 – São Paulo

1978 – Guarani

1979 – Internacional

1980 – Flamengo

1981- Grêmio

1982 – 1983 – Flamengo

1984 – Fluminense

1985 – Coritiba

1986 – São Paulo

1987 – Sport (Copa União: Flamengo)

1988 – Bahia

1989 – Vasco

1990 – Corinthians

1991 – São Paulo

1992 – Flamengo

1993 – 1994 – Palmeiras

1995 – Botafogo

1996 – Grêmio

1997 – Vasco

1998 – 1999 – Corinthians

2000 – Vasco (Copa João Havelange)

2001 – Atlético-PR

2002 – Santos

2003 – Cruzeiro

2004 – Santos

2005 – Corinthians

2006 – 2007 – 2008 – São Paulo

2009 – Flamengo

2010 – Fluminense.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Reconhecimento de Pelé, Tostão e outros campeões

  1. Alex disse:

    Perez,
    Se um time carioca ou paulista tivesse vencido o brasileiro de 1937 a CBF já teria
    reconhecido ? Como foi o Galo ninguém dá valor.
    Não tem jeito. CAM foi o primeiro campeão nacional. (1937)
    Campeão dos campeões estaduais. Se a taça brasil é brasileirão a de 1937 também é.
    O regulamento é o mesmo.

  2. luiz fernando disse:

    Tudo bem. O Pelé merece, mas a imprensa poderia ter tido pelo menos a sensibilidade de divulgar informações sobre Pepe (mais conhecido), mas, principalmente sobre Lima, um craque. Como o Rei, os dois também têm o mesmo número de títulos brasileiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s