Alemanha tetra com méritos e Brasil quarto colocado

 A Copa do Mundo de 2014 acabou como a melhor e mais vista e elogiada de todos os tempos, calando as mídia- especialmente jornais, revistas e mídias sociais além de tvs e internet. Desde 1930, no Uruguai, quando os poucos participantes chegaram de navio e quase não apareceram torcedores, além dos uruguaios e vizinhos que lotaram o Estádio Centenário, em Montevidéu, até a grande final entre Alemanha e Argentina, em 13 de  julho, um domingo que entra para a história do futebol e  do mundo, em 20 disputas mundiais, nunca uma disputa foi vista por tanta gente – só pela tv se calcula mais de um bilhão de telespectadores – e tantos interessados seguiram jogos e todas movimentações pela internet, rádio, mídia impressa e todas as formas de ver um espetáculo popular e mundial. O Brasil fez, segundo os críticos e analistas de todo lado e de todas ideologias e fés a Copa das Copas. Inacreditável e sensacional o que dificilmente será superado em pouco tempo pelo mundo afora.

A Alemanha venceu a Argentina por 1 a 0, em clássico decisivo no Maracanã, que terminou 0 a 0 no tempo normal e só na prorrogação de 30 minutos, divididos em dois tempos de 15 minutos, teve um vencedor. O gol do tetracampeonato da Alemanha foi do atacante Gotze, de 22 anos, que entrou aos 42 minutos do segundo tempo no lugar do artilheiro Klose e venceu o goleiro Romero, da Argentina, aos 7 minutos do segundo tempo da prorrogação.  O lance que definiu a final e garantiu o tetra aos alemão depois de 24 anos da última conquista mundial, começou com Schurrle fez jogada pela esquerda e cruzou para a área, onde Gotze  dominou a bola no peito e antes dela cair chutou vencendo o grande goleiro argentino. entrando para a história do futebol alemão e mundial.

Antes do gol de Gotze, a Argentina jogou nos contra-ataques e chegou a fazer dois gols anulados corretamente pelo juiz por impedimento e ainda perdeu dois lances precisos de ser tricampeã mundial – venceu  antes as Copa de 1978 em Buenos Aires e de 1986 no México justamente contra a Argentina- com Lionel Messi chutando cruzado para fora quando Neuer já estava fora do lance e Palácio  foi lançado dentro da área alemã e encobriu o goleiro rival mas não conseguiu completar o lance e a boa foi para fora. Um grande jogo que emocionou milhões de torcedores em todo mundo e principalmente os alemães e argentinos no Maracanã e em Berlim e Buenos Aires. Uma grande e sensacional final para a melhor de todas as Copas do Mundo.

Eis a ficha técnica da decisão do mundial de 2014 no Rio:

ALEMANHA 1 X 0 ARGENTINA
Copa do Mundo 2014 – Final
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ
Data: 13 de julho de 2014, domingo
Horário: 16h (horário de Brasília)

Público: 74.738 torcedores

Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Renato Faverani e Andrea Stefani (ambos ITA)

Cartões amarelos: Schweinsteiger e Howedes (ALE); Mascherano e Aguero (ARG)

Gol: Gotze, aos sete minutos do segundo tempo da prorrogação

ALEMANHA: Neuer; Lahm, Boateng, Hummels e Howedes; Schweinsteiger e Kramer (Schurrle); Muller, Kroos e Ozil (Mertesacker); Klose (Gotze) Técnico: Joachim Low.
ARGENTINA: Romero; Zabaleta, Demichelis, Garay e Rojo; Mascherano, Biglia, Enzo Pérez (Gago) e Messi; Lavezzi (Aguero) e Higuaín (Palacio) Técnico: Alejandro Sabella.

Já o Brasil que perdeu de 3 a 0 para a Holanda na disputa do terceiro lugar, no sábado, dia 12 de julho, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, acabou ficando em quarto lugar ficou sem o técnico Luiz Felipe Scolari, o Felipão,  penta campeão em 2002 e que não conseguiu levar os brasileiros ao hexacampeonato. Eis a ficha técnica do clássico internacional entre brasileiros e holandeses em Brasília:

BRASIL 0 X 3 HOLANDA

Data: 12/07/2014 – 17h
Local: Mané Garrincha (Brasília)

Árbitro: Djamel Haimoudi (ALG)
Auxiliares: Redouane Achik (MAR) e Abdelhak Etchiali (ALG)

Cartões amarelos: Thiago Silva, Fernandinho e Oscar (Brasil); Robben e De Guzmán (Holanda)

Gols: Van Persie, aos 2 min, e Blind aos 15 min do 1º tempo; Wijnaldum aos 45 min do 2º tempo

Brasil: Júlio César; Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Maxwell; Luiz Gustavo (Fernandinho), Paulinho (Hernanes), Ramires (Hulk), Oscar e Willian; Jô. Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Holanda: Cillessen (Vorm); Vlaar, Martins Indi e De Vrij; Kuyt, Wijnaldum, Clasie (Veltman), De Guzmán e Blind (Janmaat); Robben e Van Persie. Técnico: Louis Van Gaal.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Alemanha tetra com méritos e Brasil quarto colocado

  1. luiz fernando disse:

    O futebol foi muito escasso na ‘melhor de todas as copas’. Quase sempre, as seleções jogaram para não perder e o maior exemplo foi Argentina x Holanda, uma das semifinais: ninguém tentou marcar gols e a incompetência chegou aos pênaltis, castigando os holandeses. Bastava um cara ou coroa. A Alemanha justificou o quarto título mundial com jogos corretos, contra o Brasil e a Argentina. Na Seleção Brasileira, Felipão disse que não mudaria nada, enquanto o Oscar, além de sumir em todas as partidas, afirmou que o time jogou bem e criou muitas oportunidades de gol contra a Holanda. Quer dizer, também não sabia o que estava acontecendo em campo. Tá danado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s